Seja aprovado mais rápido

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A aprovação de concursos em 4 fases: veja como ganhar esse jogo!



A tão desejada aprovação em um concurso representa viver uma vida financeiramente melhor e com muito mais estabilidade. É por isso que milhares de pessoas correm atrás desse sonho.

Porém, o jogo é difícil e requer não somente determinação e paciência, mas uma compreensão mais abrangente das regras para se conseguir uma aprovação.

Quando o assunto é a aprovação em um concurso, nada melhor do que ouvir conselhos de quem é experiente no assunto e possui uma lista de aprovações em seu currículo para corroborar com o sua expertise, não é mesmo?

Victor Maia, o fundador do QualConcurso, que foi aprovado em diversos concursos – inclusive o de Perito da Polícia Federal, que era seu sonho – veio compartilhar conosco segredos valiosos para dominar a arte de ser aprovado em concursos.

Tudo o que você precisa é passar pelas 4 fases que vamos explicar a seguir. Venha com a gente!


Fase #1: Conhecendo as regras do jogo da aprovação



Muitas pessoas estão há anos prestando concursos sem conseguir alcançar o seu objetivo. São pessoas dedicadas e que estudam as disciplinas dos concursos que prestam com bastante afinco e, mesmo assim, não conseguem a aprovação.

Por que isso acontece?

Maia explica: “muitos concurseiros seguem a massa e ‘só estudam’. Esse caminho é tortuoso e, infelizmente, não os leva a lugar algum. O concurseiro é como um viajante: precisa de um mapa, algo que apontará o caminho que deve seguir, com todos os desafios e armadilhas que encontrará pela frente, para saber como evita-los.”

Uma dica para elaborar esse mapa é usar simulados adaptativos que o ajudarão a escolher a área que combine sua vocação e suas aptidões. Assim, unindo o útil ao agradável, você segue o caminho mais rápido rumo à carreira de seus sonhos.

Quer saber mais? Conheça o curso Aprovação em Concursos e se prepare para sua nova vida.

Fase #2: Parabéns! Você é um principiante



Agora que você já escolheu uma área específica e já está com seu mapa em mãos, é hora de conquistar a segunda fase do jogo da aprovação.

Nessa fase seu maior desafio é encarar e eliminar de vez um vilão muito perigoso que pode colocar todo o seu esforço a perder: a preguiça.

A preguiça, muito ardilosa, vai tentar fazer com que você acredite que há atalhos e até fórmulas mágicas de estudo para que consiga sua aprovação. Não caia nessa!

O tempo para estudar é curto e você precisa ser o mais focado e eficiente possível, ou seja, precisa ser produtivo.

“O software QualConcurso te ajuda a montar um planejamento perfeito de estudos, totalmente adaptado às suas necessidades”, diz Victor Maia e acrescenta: “mas os perigos dessa fase não param por aí.”

Mesmo com seu plano de estudos em mãos, você vai encontrar outro desafio à frente. O desânimo, que anda de mãos dadas com a preguiça, está à espreita, querendo te desviar do caminho.

“Fazer parte de uma comunidade secreta de troca de informações e dicas valiosas que o ajudarão nessa parte do caminho para o sucesso é muito importante. Nosso curso de motivação é exatamente o que os concurseiros precisam para passar para a próxima fase”, explica Maia.

Fase #3: Intermediário – Quase lá



Vilões fora do caminho, é hora de se tornar proficiente nas disciplinas básicas da sua área.

No seu mapa, você vai perceber que é hora de aprimorar seu material de revisão. Isso significa que sem um material de revisão apropriado, você terá dificuldades em estudar tudo o que precisa quando o edital do concurso for publicado.

Mas, cuidado! Nem é preciso reforçar que não há milagres para ser aprovado, portanto, não caia nas armadilhas de técnicas de chutes ou outras promessas de facilidades que só o levarão ao fracasso!

Victor Maia aconselha: “o curso Técnicas de Estudo é a melhor maneira de aperfeiçoar seu material de revisão e leva-lo à próxima fase do jogo da aprovação”.

Fase #4: Avançado – Sua hora chegou



O momento mais esperado do jogo chegou: o edital do concurso foi publicado.

Você já conhece as regras do jogo e seu material de revisão está adequado ao seu objetivo. Tudo o que você precisa agora é aprender as novidades do edital.

As matérias básicas já estão dominadas, pois você se preparou com antecedência, portanto, cobrir o edital será muito mais fácil e você chegará para fazer sua prova preparado e confiante.

A aprovação é apenas o resultado do planejamento e técnica que foram empregados até este momento, portanto, saboreie sua vitória!

Você venceu!


Veja aqui como o QualConcurso pode ajudá-lo a conseguir a sua aprovação. 

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Usando o Google como técnica de estudo


Já diz o ditado popular “se não está no Google, é porque não existe” e, por isso, o buscador mais famoso do mundo pode ser seu melhor aliado na hora de estudar para passar em um concurso.

Se você não encontra a resposta para o que está procurando, certamente está procurando de maneira incorreta.

Apesar de o Google oferecer várias ferramentas para limitar ao máximo a pesquisa e fazer com que o usuário realmente encontre o que está procurando, essas ferramentas não servem para quem está estudando para prestar um concurso.

Isso mesmo! Existe uma maneira correta para que os concurseiros possam procurar por questões no Google e nós vamos te dar as dicas de como fazer isso.

Interessou? Então continue a ler.

Pesquise por termos exatos


Se você está em dúvida sobre a resposta de uma questão, ou quer complementar a resposta que já tem em mãos, você pode – e deve – procurar por ela no Google. Porém, se você digitar a frase toda receberá infinitas respostas inúteis e vai acabar desistindo de procurar.

Quando você não usa aspas para fazer uma pesquisa o Google entrega resultados para cada uma das palavras da frase, inclusive os artigos e pronomes. Calcule o quanto de resultados que não tem nada a ver com o que você quer vão aparecer?

O que fazer, então?

Simples! Você deve usar aspas para procurar a frase exata que está procurando. Digite as aspas no começo e no final da frase ou da expressão que precisa pesquisar.

Dessa forma, o buscador te entregará somente os resultados que possuem a frase ou expressão exata que você está procurando.

Use o sinal de menos (-) para excluir termos indesejados


Vamos supor que você precisa pesquisar um determinado assunto no Google, mas tudo o que o buscador te entrega vem com alguma outra parte da matéria que você não precisa.

Por exemplo, você precisa estudar Administração Financeira e Orçamentária, mais especificamente a Lei da Responsabilidade Fiscal. No entanto, mesmo digitando Administração Financeira e Orçamentária Lei da Responsabilidade Fiscal, a pesquisa poderá retornar com algo algum outro termo, como “questões de concurso”, etc.

Para acabar com esses “intrusos”, você pode usar o sinal de menos (-), dessa maneira:

Administração Financeira e Orçamentária Lei da responsabilidade fiscal -questões

Pronto! O sinal de menos atuou como um filtro e refinou ainda mais sua busca.

Faça suas pesquisas usando a opção “site:”


Essa função é bastante útil quando você quer procurar por um determinado assunto dentro de um site.
Para usá-la é muito fácil. Use o exemplo abaixo para se guiar. 

No campo de busca do Google digite: Site:(nome do site, sem espaço entre os dois pontos) e “nome do que você procura”, ou como no exemplo,

site:www.jusbrasil.com.br “Pré-eleição”

Caso precise refinar ainda mais a sua busca, você pode adicionar outros termos, por exemplo:

site:www.jusbrasil.com.br “Pré-eleição” “propaganda eleitoral”

Simples assim!


Com essas três dicas importantes, você já está pronto para abrir o Google e encará-lo com outros olhos! Bons estudos!

Aqui no QualConcurso você tem acesso à várias ferramentas para turbinar suas técnicas de estudo e garantir maiores chances de aprovação no concurso dos seus sonhos. Nós estamos aqui para ajudá-lo a conquistar seu objetivo. Conte conosco!


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Usando questões para aprender a teoria. Aprenda essa técnica de estudo eficaz.



Não há moleza quando o assunto é passar em um concurso. Embora cada pessoa aprenda de uma maneira (visual, oral, mapas mentais, entre outros) e em um ritmo próprio, existem estratégias que podem contribuir para que você consiga otimizar o tempo e o conteúdo dos estudos.

O concurseiro se depara com um volume imenso de leituras e estudos, portanto, todo minuto é precioso e deve ser utilizado da maneira mais útil possível.

Essa técnica serve para qualquer concurso?


Se a sua aprovação depende do estudo das inúmeras páginas de leis, decretos, enfim, atos normativos e/ou gráficos, fórmulas e outros pequenos detalhes que fazem a diferença em uma prova de concurso, então essa técnica é para você.

A técnica de usar questões para aprender a teoria acaba por eliminar o supérfluo e ir direto ao ponto: você estuda a questão que precisa de sua atenção e, por meio da reposta objetiva, você consegue saber exatamente o que o exame quer saber, sem enrolação.

Como funciona essa técnica?


É bem simples e até um pouco óbvia, porém muitos concurseiros gastam horas e horas de estudo, sendo que têm a chance de priorizar e otimizar o conteúdo a ser memorizado para a prova do concurso.

Veja como funciona:

  • O primeiro passo é selecionar as questões das provas de concursos que precisam de sua atenção.
  •  A seguir, procure a resposta para cada uma das questões. Por exemplo, se você tiver uma questão relativa a uma lei e seus respectivos decretos, artigos e incisos, procure nos livros a resposta correta.
  • Em seguida, faça uma marcação ou uma observação ao lado do parágrafo do livro (ou da lei, no exemplo acima) com o nome da banca e o ano da prova. Assim, você se assegura que essa questão cairá na sua prova e você precisa estuda-la a fundo.
  • Repita esses passos com absolutamente todas as questões. É a partir das marcações que você poderá saber o que deve estudar a fundo.

No final, veja de novo tudo o que precisa ser estudado e você verá o que realmente vai cair na sua prova, ou seja, você vai estudar apenas o que é importante, sem desvios.

Onde encontrar as questões dos concursos?


Muitos sites oferecem uma base de dados de provas passadas para que os candidatos possam focar seus estudos e tirar o melhor proveito de seus tempos.

Aqui no QualConcurso você tem acesso à várias ferramentas para turbinar suas técnicas de estudo e garantir maiores chances de aprovação no concurso dos seus sonhos. Nós estamos aqui para ajudá-lo a conquistar seu objetivo. Conte conosco!




segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Três erros que impedem sua aprovação em um concurso. Saiba como evitá-los.


Sua aprovação pode estar bem perto. Fique atento para não cometer esses três erros comuns que só atravancam o seu progresso.

Horas de estudo e dedicação para poder passar no concurso de seus sonhos podem ir por água abaixo por causa de erros cometidos sem perceber.

A verdade é que não há fórmula milagrosa quando o assunto é passar em um concurso público. Mesmo fazendo cursinho, comprando métodos de ensino, e outros recursos que são reconhecidamente eficazes para a sua aprovação, se você não arregaçar as mangas e fizer a sua parte, a única coisa que acontecerá é você ter gasto dinheiro à toa.

Pagar para se ter uma ferramenta de aprovação é fácil. O difícil é fazer a sua parte – e não adianta colocar a culpa de não ter passado no serviço pelo qual você pagou. Resumindo: não há sucesso sem esforço.

A partir do momento que você compreende que não há mágica envolvida na aprovação de concursos e assume a sua parte de responsabilidade do seu sucesso, a coisa muda de figura.

Veja abaixo o que você pode estar fazendo para contribuir para diminuir suas chances de aprovação em um concurso e, a partir de agora, compromete-se a eliminar esses erros de sua vida de concurseiro!

Erro #1 – Vivendo no futuro

A imagem é clara: você, feliz da vida, vivendo sua vidinha após a aprovação do concurso que tanto deseja. O que você não pode esquecer é que há muito trabalho a ser feito para que isso seja conquistado.

Pode-se afirmar que a aprovação é apenas uma consequência de um trabalho de preparação e estudo bem feito. Portanto, lembre-se que sonhar é bom, mas é preciso viver o aqui e agora e realizar cada etapa que te levará até o seu propósito de maneira eficaz.

Fazer o que tem que ser feito de qualquer jeito, ou bem “meia boca”, não vai fazer com que você seja aprovado. Pior, você terá que fazer tudo novamente se realmente quiser passar em um concurso.

Erro #2 – Desorganização e falta de planejamento

Todo mundo sabe que é preciso estudar muito para passar em um concurso. Isso é um fato e você sabia disso antes de escolher esse caminho, não é? Até a falta de tempo tem solução, então, chega de mimimi!

Comece fazendo um planejamento de estudo completo e bem abrangente. Priorize as matérias e, o mais importante, não queira abraçar o mundo com as pernas. Se você estudar a ermo, não aprenderá nada e as chances de falhar aumentarão!

Estude uma matéria de cada vez, priorizando suas necessidades, e adotando horários de descanso para que seu cérebro possa absorver o conteúdo aprendido e ter uma pausa para relaxar.

Erro #3: Não testar o seu conhecimento

Ler é muito importante, mas nunca deverá ser sua única estratégia de estudo. É preciso colocar o conhecimento à prova.

Faça simulados, refaça provas anteriores, selecione questões de provas passadas aleatoriamente para que você possa responde-las e testar os seus conhecimentos gerais.


Teste, teste, teste! Se achar que ainda não testou o suficiente, teste novamente! Aliar essa estratégia à teoria o deixará bem próximo do seu sonho.

Bons estudos!

segunda-feira, 25 de julho de 2016

De olho na aprovação: dicas para escrever uma redação excelente



É possível afirmar com segurança que a redação é o terror da maior parte dos concurseiros.

Organizar e expor suas ideias em palavras, usando gramática, ortografia e pontuação corretas representa, para muitos, horas extras de estudo e dedicação para apresentar o melhor conteúdo possível dentro das circunstâncias extremamente estressantes de uma prova de concurso.

Antes de entrarmos nas dicas que vão ajudá-lo a encarar esse bicho de 7 cabeças, é importante conhecer os principais erros cometidos pelos concurseiros em relação às redações. Vamos lá?

·         Falta de clareza: você pode até ser bom na Língua Portuguesa, mas as pessoas não conseguem compreender o que está escrito ou compreendem de forma totalmente diferente da ideia que tentou passar.

·         Não pensa sobre o que está escrevendo e não confere a redação depois de pronta: o pensamento vem em fluxos, mas dificilmente a escrita acompanha tais fluxos. É preciso pensar sobre o que se quer escrever e reler a redação para se certificar que está inteligível.

·         Não consegue se ater ao tema: você começa sua redação falando sobre o tema, mas termina falando de algo totalmente diferente.

Você se encaixou em um (ou mais) desses três erros principais? Não se preocupe! Nós vamos ajudá-lo!

Como escrever uma redação excelente

Como acontece com outras disciplinas de estudo, escrever bem pode e tornar um hábito com a prática constante.

Observar suas redações e procurar aprender com seus erros já é o primeiro passo rumo à excelência. Basta adicionar a dedicação inerente a todo concurseiro e pronto! Em breve o medo de uma redação fará parte de seu passado.

Confira abaixo algumas dicas para escrever uma redação excelente:

1.      Leia muito.

Na verdade, ler já faz parte da rotina de um concurseiro, não é mesmo? A boa notícia é que isso torna tudo mais fácil: quanto mais você ler, melhor será sua escrita. Atente-se às construções gramaticais e ao desenvolvimento do conteúdo.
Reproduzir esses modelos ao colocar suas ideias no papel contribuem para deixar sua redação de fácil compreensão.

2.      Evite parágrafos muito longos

Quanto maior for o parágrafo, maior a chance de erros gramaticais e de pontuação. O inverso também é verdadeiro: parágrafos curtos demais demonstram falta de conhecimento do assunto. Para sua referência, escreva sempre parágrafos de 2 a 3 linhas.

3.      Cuidado com a repetição de palavras ou uso de jargões

Tenha bastante cuidado com o uso de jargões e expressões que são usadas popularmente, como “a nível de”. Além de estar gramaticalmente incorreta, essa expressão empobrece o texto.

Faça uso de sinônimos para evitar repetições desnecessárias e o uso de expressões dispensáveis.

4.      Siga o padrão: introdução, desenvolvimento e conclusão

Há um motivo pelo qual um padrão de escrita é utilizado. Sempre que for escrever uma redação ou dissertação, você deve começar pela introdução.

É por intermédio desse elemento que você mostra que entendeu o tema proposto. No entanto, tenha cuidado! A introdução não deve se estender para mais que três parágrafos.

É no desenvolvimento que você tem a oportunidade de complementar sua introdução, descrevendo situações e acrescentando detalhes sobre o tema. O importante aqui é ater-se ao tema, sem explicar demais ou de menos. O desenvolvimento não deve ser maior que 6 parágrafos.

Logo após o desenvolvimento vem a conclusão. É aqui que você vai encerrar o seu raciocínio. Retome os argumentos de maneira resumida e reafirme a posição sobre o assunto que você assumiu na introdução.

5.      Escrever bem não significa escrever difícil

Não é usando palavras enormes e difíceis que você fará uma boa redação. O seu texto tem que ser, acima de tudo, claro.

Suas ideias devem estar ordenadas, expostas de forma simples, porém de fácil compreensão e gramaticalmente corretas. Se estiver em dúvida sobre como escrever determinada palavra, use um sinônimo.

O importante é que seu texto tenha um ritmo, ou seja, um começo (introdução), meio (desenvolvimento) e fim (conclusão).


Agora é só praticar! Boa sorte!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

O que são mapas mentais e como eles podem ajudá-lo a passar em um concurso


O volume de matérias, tópicos, pontos importantes, artigos de leis, regras gramaticais, fórmulas variadas, etc., que é preciso estudar para passar em um concurso é imenso.

Por isso, a organização pode ser considerada uma estratégia essencial para que um candidato possa estudar tudo o que precisa para fazer a prova.

A boa notícia é que é possível lançar mão de recursos para ajudá-lo nessa tarefa nada fácil. Um desses recursos são os mapas mentais.

Mas, afinal, o que são mapas mentais?

Os mapas mentais podem ser definidos como anotações ou fichas coloridas, repletas de símbolos, imagens e letras grandes que, de acordo com os especialistas, facilitam a memorização do que está sendo estudado.

As fichas coloridas vão criando um mapa de tudo o que o candidato está estudando, aumentando expressivamente a probabilidade de que ele se lembre de todo o conteúdo na hora da prova e, consequentemente, a sua aprovação no concurso.

O mapa mental tem a função de substituir os resumos lineares e são ideais para revisar um conteúdo bastante extenso em pouco tempo e com muita eficiência.

Como criar um mapa mental

Em primeiro lugar, é preciso compreender que não há maneira certa ou errada de se criar um mapa mental. As pessoas aprendem e memorizam conteúdo de formas diferentes e, portanto, devem utilizar o mapa mental que mais se adequa ao seu estilo de estudo.

Há diferentes maneiras de se criar um mapa mental. O modelo tradicional é aquele em que há um tópico principal, que vai abrindo vários subtópicos, chamados de ramos, até que todo o conteúdo seja alcançado.

Você ainda pode utilizar fichas coloridas (ou post-its coloridos) para montar o seu mapa mental. Há toda uma questão psicológica envolvida entre as cores das fichas e os espaços em branco entre elas, que contribuem para que você consiga memorizar o conteúdo com maior facilidade.

Uma característica do uso dos mapas mentais com fichas coloridas é que você pode utilizar várias fichas com poucas palavras em cada uma delas. Isso funciona como um tipo de palavra ou frase chave que fará com que você se lembre de todo o conteúdo.

O principal das fichas coloridas é que elas são COLORIDAS mesmo. Use tudo o que estiver ao seu alcance: canetinhas, lápis de cor ou giz de cera. Escreva com letras garrafais, faça desenhos, enfim, tudo para deixar o seu cérebro atento e a memória trabalhando.

Com o passar do tempo, você perceberá que usará sempre os mesmos símbolos quando se referir à uma palavra ou uma frase. Sendo assim, logo você poderá fazer um glossário dos símbolos que mais usa para que a criação das fichas seja cada vez mais rápida.

Há, ainda, os mapas mentais tecnológicos, ou seja, aplicativos e softwares que você pode baixar em seu dispositivo móvel (tablet ou celular) para facilitar a organização das suas ideias e tópicos a serem estudados.

Aqui no QualConcurso, podemos ajudá-lo com essa tarefa com o nosso Curso de Técnicas de Estudo, que inclui os mapas mentais. Além disso, temos um Curso de Discursivas (macro e microestrutura).


O QualConcurso é seu aliado na hora de estudar. Com ele, você consegue organizar o seu tempo de estudo pelas disciplinas que mais precisa se aplicar e ainda testa seus conhecimentos, constantemente, por meio dos Simulados oferecidos pela plataforma. 

Quer saber mais? Clique aqui para conhecer a nossa metodologia e baixar GRATUITAMENTE o e-book com os"4 passos para aprovação em concursos".

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Três dicas que vão prepará-lo financeiramente até passar em um concurso




Embora a aprovação em um concurso seja o sonho de muitas pessoas, poucas compreendem a importância de se preparar financeiramente até que isso aconteça. 

Estudar e se preparar é fundamental; isto é fato. No entanto, a questão da sobrevivência também o é. Sonhar com o seu salário após a aprovação é ótimo, mas garantir que você tenha o que precisa para chegar até lá é necessário. 

Sendo assim, com o intuito de auxiliá-lo a organizar suas finanças até que consiga passar em um concurso, selecionamos três atitudes simples e certeiras. Acompanhe! 

Investir não é o mesmo que gastar. Entenda a diferença 

Há um motivo – vários, na verdade – pelo qual a aprovação de um concurso requer muito estudo e dedicação. Sua vida após a aprovação poderá ter os elementos que você sempre sonhou: segurança, estabilidade, oportunidade de carreira. 

No entanto, você, como concurseiro, já percebeu que a tarefa é um pouco mais complexa do que você gostaria. A boa notícia é que você pode lançar mão de artifícios que vão aproximá-lo ainda mais do seu objetivo. 

Investir em cursos, aplicativos, simulados, entre outros, que vão deixá-lo mais bem preparado para a prova é o caminho mais fácil para a aprovação. 

Além disso, você precisa de recursos para otimizar seus estudos. Ter o material certo, dispositivos como laptops e tablets que facilitam sua organização para estudar, além de livros, dicionários, ou seja, tudo o que vai direcionar o seu tempo é um dos melhores investimentos que você pode fazer. 

Portanto, esse tipo de gasto pode ser considerado parte da sua estratégia para obter sua aprovação e não um gasto desnecessário que não lhe trará retorno algum. Usar o seu dinheiro investindo em você é sinal de inteligência e objetividade. 


Priorize seus estudos cortando os gastos supérfluos 


Mesmo que você tenha um emprego - que você não gosta e que não oferece a remuneração que você merece - em uma instituição privada, você deve abandonar o pensamento do “eu mereço extravasar no final de semana”. 

Se você não souber priorizar seus gastos agora, poderá sofrer as consequências dos seus atos mais tarde. O objetivo de se preparar para passar em um concurso deve ser o seu foco e, consequentemente, as suas atitudes deverão estar em coerência com isso. 

Mesmo que você gastar R$25 por semana em algo que não lhe acrescenta em nada, um gasto vazio, ao final do mês serão R$100,00 que você poderia ter utilizado em materiais para se preparar ainda mais. 

Lembre-se de manter o olho no prêmio. A preparação para passar em um concurso é uma situação passageira e você terá tempo – e dinheiro – suficientes para poder curtir sua vida depois da aprovação. 

É esse tipo de foco que separa os que sempre estão “se esforçando” daqueles que realmente sabem o que querem. Pense nisso. 

Organize-se financeiramente e redirecione seus recursos 


Se você é daqueles que não sabem para onde vai o seu rico dinheirinho, aproveite o seu foco de passar em um concurso e organize suas finanças. 

Faça uma planilha com tudo o que você gasta diariamente, analise os resultados e redirecione os gastos vazios para que se tornem investimentos. 

Portanto, corte o cappuccino de todas as tardes e redirecione o valor mensal desse hábito em materiais que poderão trazer a aprovação mais próxima a você. 

Se você fizer tudo o que está ao seu alcance para direcionar sua atenção e suas finanças para sua aprovação, sua recompensa será bem maior.


Gostou de nossas dicas? Conte para nós o que você faz para se preparar financeiramente até que passe em um concurso. Queremos ouvi-lo!

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Qual o seu perfil como concurseiro?


Da mesma forma que, em uma sala de aula, você consegue identificar os diversos tipos de alunos, é possível identificar o tipo de concurseiro.

Mas, afinal, qual o seu perfil como concurseiro e o que isso diz ao seu respeito? Será que é preciso mudar seu estilo para obter melhores resultados?

Os tipos de concurseiros: descubra o seu


Um estudo realizado pela IOB identificou alguns tipos de concurseiros e quais suas principais características.

Confira!

·         O Apavorado


Esse tipo de concurseiro pode ser reconhecido naquele candidato que, mesmo tendo nível superior de educação, acreditam que precisam prestar um concurso que exige nível médio.

Isso acontece porque creem que tenham melhores chances de serem aprovados, já que, mesmo após diversas tentativas, não conseguiram ser aprovados em um concurso de nível superior.

Nessa categoria, pode-se acrescentar o candidato que, sob desespero, se inscreve em todos os tipos de concurso, mesmo que não tenham nada a ver com o que ele deseja.

Pensam que, ao se inscreverem para o maior número de concursos possível, vão conseguir alguma coisa, independentemente de seu desejo ou vocação.

Foco é tudo, concurseiro apavorado. Há várias maneiras de saber se um cargo é o ideal para você. Atirar para todos os lados pode lhe causar mais frustrações que sucesso.

·         O deboísta

Pode-se afirmar que esse tipo é o extremo contrário do tipo anterior. O candidato deboísta, além de se inscrever para poucos concursos, não se preocupa em se preparar para a prova, pois acredita que “no fim, tudo dá certo”.

O deboísta deixa para estudar em cima da hora, sem qualquer tipo de organização. Preferem até recorrer a dicas sobre “como estudar para um concurso em 1 semana”, ou algo parecido, do que planejar uma rotina de estudos.

Sob uma ótica mais negativa, o deboísta pode também ser aquele tipo de candidato que não quer prestar um concurso e o faz por vontade de terceiros, geralmente dos pais. Ele, na verdade, finge que estuda e não se preocupa com o resultado, pois simplesmente não se importa.

É importante reconhecer o valor da oportunidade que você tem em mãos, deboísta. Principalmente se você acredita que o concurso não é o que você quer para sua vida profissional, pense que você está tirando a chance de quem não só quer, como está preparado e precisa dessa vaga.

Seja honesto com você mesmo e siga o seu próprio caminho. Isso faz parte da vida adulta.

·         O iludido

Esse tipo de concurseiro coloca uma carga enorme no concurso que irá prestar, pois ele tem certeza que, se passar, todos os seus problemas serão resolvidos e ele terá uma vida mansa e pacata.

Na sua cabeça, o iludido pensa que não terá que trabalhar pesado ou se empenhar em seu cargo, pois ele terá certa imunidade, além da vida garantida. Seu pensamento é algo como “trabalhar pouco e ganhar muito”.

O grande problema do iludido é que, após algum tempo, ele perceberá que dinheiro não é tudo. A satisfação e realização profissionais são pilares da vida de um ser humano e, viver uma vida no automatismo, não é viver: é apenas existir.

O iludido precisa compreender que o serviço público não é sinônimo de boa vida. Muitas pessoas dependerão de seu trabalho para poderem ter acesso aos mais variados tipos de serviço. Se a sua intenção é ficar no meio atrapalhando, é melhor seguir por outro caminho.

·         O que só pensa em dinheiro

Esse tipo de concurseiro escolhe os cargos de acordo com a remuneração e, não, aptidão.

O grande problema desse tipo de concurseiro é que ele nunca está satisfeito com o que tem. Está sempre procurando concursos para cargos que ofereçam maior remuneração.

O concurseiro que só pensa em dinheiro nunca está em paz. Nunca tem tempo para aproveitar as atribuições de seu cargo e construir uma carreira. Ele está sempre pulando de galho em galho.

·         O concurseiro que quer mudar o mundo

Esse tipo de concurseiro quer prestar um concurso porque acredita que seu trabalho fará a diferença e ele conseguirá acabar com as injustiças do país. É obstinado, estuda e se prepara muito para prestar o concurso.

Quando assume o cargo, percebe que, embora suas intenções sejam nobres, a burocracia pode atrapalhar – ou atrasar – seus planos de melhorar o sistema, o que pode desmotivá-lo.

Esse concurseiro precisa entender que, o simples fato de desempenhar sua função com competência e responsabilidade, já um serviço enorme à sociedade em que vive.



E aí? Qual o seu tipo de concurseiro? Conte para gente nos comentários!

segunda-feira, 25 de abril de 2016

O método e a estratégia valem mais que o esforço

Em 2010, Victor Maia tentava, pela primeira vez, inscreveu-se no concurso para Agente de Polícia Federal. Para enfrentar a alta concorrência para ingressar em no órgão, que está entre os mais cobiçados do país, ele estudou, durante quatro meses, quatro horas por dia, de segunda a sexta-feira. Diante de um planejamento tão modesto, em especial considerando-se que é comum candidatos dedicarem fatia de tempo diária bem superior a essa, inclusive nos finais de semana, a primeira ideia que vem à cabeça é que, para Victor, esse foi mais um daqueles concursos em que ele ganhou experiência para novas disputas. Pois, não foi bem assim e esse foi seu primeiro caso de sucesso.


Para conseguir uma vaga em uma seleção tão disputada, ele usou uma arma que a maioria provavelmente não possui. Engenheiro de Engenheiro de Infraestrutura Aeronáutica formado pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Victor usou conhecimentos avançados em Estatística, área em que, por sinal, ele é mestre pela Universidade de Brasília (UnB) para avaliar e distribuir o seu estudo. “Então eu sabia a priori tudo que precisava fazer. Isso me deu uma vantagem enorme!”, disse Victor Maia, que também é especialista em Aprendizagem pela Universidade da Califórnia e doutor em Economia pela Unlam, na Argentina.

Nascido em Natal, no Rio Grande do Norte, Victor Maia tem 34 anos e atua como auditor de obras na Presidência da República, em Brasília, onde reside com esposa e dois filhos. Antes de ser servidor público, ele trabalhou no mercado financeiro, segmento em que certamente desenvolveu boa parte de suas habilidades com a Estatística. A expertise nos cálculos também foi fundamental para outros casos de sucesso. Ele também conseguiu classificação para o cargo de especialista na Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), em 2011, e para perito da Polícia Federal, em 2013. O auditor foi aprovado, ainda, nas seleções para o analista do Banco Central, em 2010, e para consultor da Câmara dos Deputados, em 2014.

O meu sonho era ser perito da Polícia Federal. No caminho, fui aprovado para CGU e lotado na Presidência da República, como auditor de Obras Públicas. Quando fui convocado para Perito (o concurso ficou 1 ano suspenso) minha esposa já estava grávida do meu segundo filho e ambos estavam garantidos na cheche daqui (a Polícia Federal não possui esse benefício). Também já havia sido promovido e ganhava mais. Decisão difícil, mas resolvi ficar”, relembra Victor, que, no concurso para a CGU, ficou na segunda colocação em um total de 20 vagas. Para perito, ele ficou em quarto lugar, frente a uma oferta total de 19 vagas.

A partir de sua experiência em concursos públicos e de seus conhecimentos de Matemática, Estatística e Aprendizagem, Victor Maia desenvolveu o QualConcurso, um software on-line para estudos, que possui áreas dotadas de tecnologia e ferramentas para os processos de preparação e de avaliação da performance do usuário, dia após dia. Para se ter ideia, por meio da plataforma, o internauta sabe o concurso que tem mais chance de passar em cada momento de sua trajetória, bem como para quais disciplinas deve direcionar os seus esforços.

Para ter sucesso em concursos tão difíceis e cobiçados, Victor acredita que a forma como se preparou teve papel decisivo. A partir de sua experiência, ele diz algo que os concurseiros, em geral, não estão muito acostumados a ouvir. “O método e a estratégia fazem muito mais diferença que o esforço. Eu costumo comparar o processo de aprovação ao de uma pessoa perdida em uma floresta. Se você não sabe onde está, nem para onde está indo, não adianta correr em círculos, por mais rápido que seja. Alguma pessoas são aprovadas no que eu chamo de 'ato de fé'. Baixam a cabeça e andam até acharem uma saída. Esse método pode até funcionar, mas muito provavelmente leva muito mais tempo e necessita de muito mais esforço.”

Para ele, dar a direção correta para o esforço pessoal de se preparar para um concurso faz toda a diferença. “Se você sabe onde está e para onde quer ir, a caminhada é muito mais serena e chaga-se ao objetivo muito mais rápido. O fato de se sentir no controle de situação é fundamental para controlar a ansiedade, manter a calma, estudar com qualidade e consequentemente fazer uma boa prova e ser aprovado.

O método, sem dúvida, é decisivo em qualquer estratégia para alcançar metas. Na área de concursos não é diferente. Mas, o melhor dos planejamentos não faz milagres. Ou seja: um bom plano de estudos não exime o candidato de ter empenho, disciplina e força de vontade. Os dois juntos, afirma Victor Maia, apenas encurtam o caminho rumo à aprovação. “Não adianta saber o destino sem caminhar. A melhor das estratégias é inútil se você não estuda!

Assim como dez entre dez concurseiros, Victor Maia começou a buscar a carreira pública com o objetivo de ter um trabalho que lhe proporcionasse estabilidade, boa remuneração. Ele também estava de olho em ter um pouco de disponibilidade de tempo para que, em paralelo, pudesse se arriscar como empreendedor. “O serviço público me deu a estabilidade para que eu realizasse meus sonhos: pessoais, acadêmicos e profissionais!”, destaca Victor. 

A quem alimenta o objetivo de ingressar na carreira pública, o auditor da CGU dá um conselho: é fundamental se preparar para uma disputa que, com o passar dos anos, torna-se cada vez mais profissional. “Vivemos em um mundo onde as coisas acontecem muito rápido. Dez anos atrás quem perdeu o bonde dos cursos online perdeu a oportunidade de ser aprovado quando as vagas eram mais fartas. A partir de agora, com toda essa tecnologia auxiliando parte dos candidatos, a aprovação ‘na raça’ será cada dia mais rara.” 

Outra orientação do especialista é para que os candidatos evitem se preparar como fazem, em geral, os concurseiros. “Pare de fazer o que a maioria faz. A maioria nunca será aprovada”, diz Victor Maia, que sugere o que, segundo ele, são quatro passos importantes de uma boa preparação. “Procure se avaliar sempre, escolha a área com a qual tem mais afinidade e chance de aprovação, planeje-se e aprenda a estudar de forma mais eficiente. Esses são os quatro passos fundamentais para a aprovação em concurso público”, conclui Victor Maia.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Como passar em concurso público?

Victor Maia, fundador do www.qualconcurso.com.br,  foi entrevistado no programa Tarde Nacional da Rádio Nacional. Clique abaixo para conferir na íntegra.


A ferramenta aponta o quanto o usuário precisa saber em cada uma das disciplinas que cai em concurso, em comparação com as pessoas de fato aprovadas. Com isto, o usuário tem a informação sobre qual o concurso ele está mais próximo de ser aprovado.

Como isto é feito, como se chega a esta conclusão? O criador do programa explica que são analisados todos os concursos que já ocorreram, então pega-se informações do desempenho das pessoas já aprovadas e, por meio de simulados, é possível dizer ao candidato, qual concurso ele teria mais chance. Assim, ele consegue direcionar os estudos para a área onde ele tem chance de aprovação.

Saiba mais sobre esta ferramenta que dá o diagnóstico de aprovação em concurso, nesta entrevista ao Tarde Nacional, com Fátima Santos, na Rádio Nacional de Brasília.